Tomas Maier está saindo da Bottega Veneta após 17 anos

Tomas Maier está deixando seu cargo de diretor criativo da Bottega Veneta. Maier está à frente da marca italiana desde 2001, quando a marca foi adquirida pelo Grupo Gucci, agora Kering, e foi pessoalmente indicado para o cargo por Tom Ford.

“É em grande parte devido às demandas criativas de alto nível de Tomas que Bottega Veneta se tornou a casa que é hoje”, disse o CEO da Kering, François-Henri Pinault, em um comunicado. “Ele o colocou de volta no cenário do luxo e fez dele uma referência indiscutível. Com sua visão criativa, ele exibiu de forma magnífica a experiência dos artesãos da casa. Estou profundamente grato a ele e, pessoalmente, agradeço-lhe pelo trabalho que realizou e pelo sucesso excepcional que ajudou a alcançar. ”

Os sentimentos de Pinault estão longe de ser exagerados. Bottega Veneta, fundada em 1966, tinha lutado para acompanhar a corrida da moda do final dos anos 90 e, após um renascimento de curta duração nas mãos de Katie Grand e Giles Deacon, a marca estava lutando. Quando Maier entrou em 2001, ele trabalhou diligentemente nos acessórios exclusivos da marca, esperando até 2005 para apresentar uma coleção de pronto-a-vestir. Depois que ele fez isso, seus desfiles masculinos e femininos se tornaram os pilares da Semana de Moda de Milão por suas abordagens cerebrais e refinadas das tendências contemporâneas. Em fevereiro, a marca combinou suas coleções de outono de 2018 para homens e mulheres em um único desfile, apresentado na antiga Bolsa de Valores de Nova York na New York Fashion Week. O maior carro-chefe da empresa foi inaugurado na Madison Avenue naquele mês.

Além do pronto-a-vestir e acessórios da casa, Maier também foi fundamental na abertura da Scuola della Pelletteria Bottega Veneta, em Vicenza em 2006. A escola de comércio é especializada na assinatura de Bottega Venetaentrelaçadotécnica de couro tecido.

Fora de seus compromissos na Bottega Veneta, Maier mantém uma marca de mesmo nome de roupas femininas, masculinas e óculos (que é parcialmente propriedade da Kering) e é famoso na comunidade da moda por seu olho para arquitetura e design de interiores. (Filha de arquitetos, Maier tem casas em todo o mundo, principalmente em Palm Beach, Nova York e em uma ilha na costa do Maine.) Antes de ingressar na Bottega Veneta, Maier trabalhou em funções de design na Guy Laroche, Sonia Rykiel , Revillon e Hermès.

A notícia da saída de Maier chega no momento em que a temporada de moda masculina da primavera de 2019 está esquentando. Quem pode suceder Maier na marca italiana será o assunto das primeiras filas quando as coleções do Milan começarem nesta sexta-feira. Por sua vez, Kering não comentou quando será nomeado um novo diretor de criação.